Foto: Cristiano Pavini /A Cidade

A audiência ainda está longe da idea – ao vivo, em média, de duas a dez pessoas acompanham simultaneamente -, mas as transmissões realizadas pela TV Câmara das sessões legislativas, audiências públicas e reuniões de comissões Especiais de Estudos (CEE) e Parlamentares de Inquérito (CPI) se consolidam a cada dia nas redes sociais.

Em fevereiro do ano passado, a Câmara debutou no Facebook. Em um ano e um mês, foram 377 transmissões ao vivo na maior rede social do planeta praticamente três a cada dois dias úteis. Desde março de 2015 o Legislativo já transmitia pelo YouTube.

Apesar dos usuários simultâneos serem escassos, o total de visualizações é um pouco melhor. Segundo a TV Câmara, cada vídeo no Facebook é acessado, em média, por 120 pessoas (que podem ter apenas clicado acidentalmente, acompanhado alguns minutos ou na íntegra). No YouTube, a média é de 107 visualizações por vídeo.

Embora escassos se comparados ao total de eleitores em Ribeirão – 433,7 mil aptos a votar -, os acessos são, na maioria das vezes, superiores ao acompanhamento presencial.

O plenário da Câmara tem capacidade para 240 pessoas sentadas. Exceto em sessões com projetos polêmicos, como do “decreto do Uber”, as cadeiras são ocupadas apenas por assessores de vereadores e uma dezena de munícipes.

Eficácia

Nas últimas três semanas, A Cidade acompanhou 20 transmissões ao vivo pelo Facebook da Câmara, entre sessões e audiências. Com uma ou outra interrupção isolada, os vídeos transcorrem sem travamentos e com boa qualidade de imagem e áudio.

As transmissões para o Facebook e YouTube, explica Sérgio Figueiredo, coordenador da TV Câmara, são as mesmas das geradas para a televisão. Mas com vantagens.

A TV Câmara consegue, nas redes sociais, fazer duas transmissões ao vivo simultaneamente caso ocorra uma audiência pública ao mesmo tempo de uma CPI, por exemplo.

Além disso, após a transmissão o vídeo é salvo automaticamente, na íntegra, no Facebook e no YouTube, podendo ser acessado a qualquer momento e apenas nos trechos que interessam ao munícipe como a votação de um projeto de lei em específico.

Mais perto

Apesar das transmissões ao vivo pelo Facebook abrirem possibilidade de comentários dos espectadores, não há garantia de que as manifestações chegarão aos vereadores.

A Cidade questionou Igor Oliveira (MDB), presidente da Câmara, sobre a possibilidade de perguntas de munícipes feitas pela internet serem utilizadas em audiências públicas. Ele disse que a ideia será levada à TV Câmara para que seja colocada em prática. “Esse direcionamento das manifestações aos vereadores é muito importante, aumenta a participação e a proximidade dos cidadãos”, afirmou.

Parcerias  

O Diretor da TV Câmara, Sérgio Figueiredo, diz que o Legislativo aposta em parcerias com escolas e faculdades para alavancar a audiência na internet. A ideia é fazer programas com alunos, incentivando que eles e familiares assistam pelas redes sociais para criar o hábito de acompanhar a Casa.

Como assistir a TV Câmara nas redes sociais 

– Facebook:
TV Câmara Ribeirão Preto (2,1 mil seguidores)

– YouTube:
TV Câmara Ribeirão Preto (9,7 mil inscritos)