Sid Carneiro

Há exatamente um ano, a Associação Brasileira de Televisões e Rádios Legislativas (ASTRAL) foi convidada a indicar um profissional para contribuir com o projeto de fortalecimento e criação da rádio do Parlamento Nacional do Timor Leste, na Ásia. Agora, a ASTRAL compartilha com os demais associados, a efetiva participação do radialista oriundo da Câmara de Vereadores de Camaçari (BA), Morivaldo Argolo Silva, ao grupo de brasileiros que integram à missão de fortalecimento do Parlamento Nacional, daquele país. Morivaldo Silva embarca para Timor Leste, no próximo dia 23.

“Isso é uma comprovação tácita sobre a consolidação da ASTRAL como referência internacional na comunicação pública”, afirmou o presidente da ASTRAL, Wanderley de Oliveira.

Conforme o Termo de Cooperação Técnica assinado entre a Embaixada da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Ministério das Relações Exteriores e a ASTRAL, o radialista baiano passou por reuniões preparatórias em Brasília e deverá permanecer por 4 meses em Timor Leste.

O Termo de Cooperação Técnica Brasil/Timor Leste foi assinado pelo presidente do Parlamento Nacional, deputado Aniceto Longuinhos Guterres Lopes, com a presença do embaixo do Brasil, naquele país, Aldemo Serafim Garcia Júnior, durante cerimônia realizada na capital, Díli, em fevereiro de 2018.

O Embaixador da ABC do Ministério das Relações Exteriores, João Almino encaminhou a solicitação ao presidente da ASTRAL, Wanderley Oliveira com a finalidade de que a associação atendesse o projeto de apoio ao fortalecimento do Parlamento Nacional do Timor Leste.

A Cooperação Técnica é a oportunidade de promover a irmandade entre as instituições legislativas brasileiras com o Parlamento Nacional do Timor Leste, além de mostrar a disposição do governo brasileiro em contribuir com o projeto da comunicação pública timorense.

Morivaldo terá pela ASTRAL, a responsabilidade de apoiar as atividades do Parlamento no projeto de atuação estratégica no setor da comunicação (rádio parlamentar).

A ação entre os dois países tem como objetivo, atender servidores do parlamento do timorense de nível médio, de tecnologia de informação e comunicação, bem como, os parlamentares do país.

História/Fonte Wikipédia – Timor Leste é um dos países mais jovens do mundo com um parlamento nacional de pouco mais de 17 anos, com o idioma português e tétum. O país foi colonizado pelo Império Português no século XVI e era conhecido como Timor Português, até a descolonização do país. No final de 1975, Timor-Leste declarou sua independência, mas no final daquele ano foi invadido e ocupado pela Indonésia.

Em 1999, após um ato de autodeterminação patrocinado pelas Nações Unidas, o governo indonésio deixou o controle do território e Timor-Leste tornou-se o primeiro novo Estado soberano do século XXI, em 20 de maio de 2002. Após a independência, o país tornou-se membro das Nações Unidas e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

 

O radialista baiano passou por reuniões preparatórias em Brasília e deverá ficar 4 meses em Timor Leste

 

Missão Timor-Leste

ATIVIDADES:         

Atividade 5.1.4: Elaborar Termo de Referência para designação e/ou contratação de técnicos timorenses a serem treinados como comunicadores (locutor, repórter, redator) para a Rádio Parlamento, atendendo às necessidades locais. 

Atividade 5.1.5: Elaborar plano de trabalho para todas as funções da Rádio Parlamento.

Atividade 5.2.1: Capacitar em exercício (“on the job”) os comunicadores da Rádio Parlamento (locutores, repórteres, redatores, programador musical e outros comunicadores de interesse do PN-TL), no Parlamento Nacional. 

Atividade 5.2.2: Capacitar comunicadores da Rádio Parlamento (locutores, repórteres, redatores, programador musical e outros comunicadores de interesse do PN-TL), a serem realizados no Parlamento Nacional.

PLANO DE ATIVIDADES:

Passo 1:Conhecer a linha editorial da emissora e formar equipe.Para iniciar a formação, cada um em sua área de atuação na emissora.

Passo 2:Conhecer a emissora, quais tipos de equipamentos e software serão usados para o Play Liste da emissora.

Passo 3:Formar a equipe em suas devidas funções e colocar em pratica o ensinamento individual de cada um, mesmo que o trabalho seja desenvolvido posteriormente de forma coletiva.

Os Locutores em programas comuns, digo de gênero musical, pode desenvolver a locução e operar o áudio simultaneamente, já os locutores jornalísticos, necessitam além dele, de um profissional de operador de áudio.

Passo 4: Editores de textos e de áudios devem estar alinhados nas matérias jornalísticas, pois o editor de texto deve acompanhar todo o processo de edição das matérias. 

Equipe básica de uma rádio com 10 funcionários 

1 Coordenador

2 Editores

4 Locutores

3 Técnicos

PLANO DE AÇÃO: 

O radialista assume inúmeras funções dentro do setor, como por exemplo, direção de roteiro, projetos, criação e muitos outros, porém o mais comum é a locução, sendo assim todos os colaboradores (funcionários) que trabalham em uma emissora de rádio, independente da função desenvolvida é “radialista. Em se tratando de uma emissora Legislativa é ainda mais complexo por virtude da imparcialidade nas participações de assuntos e entrevistas.

1.O coordenador: 

Responsável por toda a equipe e programação da emissora, ele deve decidir os horários dos programas, no caso de uma emissora legislativa ele deve acompanhar a produção das matérias e ter cuidado total na questão da impessoalidade, por ser uma emissora com investimentos de recursos públicos todos os parlamentares tem direitos iguais e o coordenador quem deve acompanhar esse cronograma de entrevistados e participantes de programas no âmbito político.

2.O editor: 

Responsável em buscar os assuntos mais relevantes, a exemplo dos principais projetos de leis e requerimentos, não devendo assim centralizar em um parlamentar onde todos devem ter uma participação igualitária, de forma cuidadosa para não priorizar um e deixar outro de lado, buscando assuntos claros e mais relevantes do dia, principalmente as duas partes, seja governo ou oposição, em um país democrático.

A Edição radiofônica é a forma de se construir de maneira mais organizada uma reportagem ou em resumo, a função do editor de rádio é selecionar as matérias, revisá-las e fazer a montagem, redigir notas, além de definir o tempo de cada e sempre fazer a Elaboração de pautas de programas.

3.Locutores:

Responsáveis pelo aprimoramento das atividades de locução, tais como técnicas de dicção, impostação da voz e leitura dinâmica. Quanto aos que serão contratados, devemos concentrar esforços em atrair pessoas com habilidade de comunicação e que dominem a língua pátria, além dos dialetos. Atuarão na locução interna denominados âncoras e externas denominados repórteres.

4.Técnicos

Responsáveis pelos registros sonoros, operador de áudio ou sonoplasta, podendo ser chamado de “áudio designer”. Estes profissionais quem editam, arquivam, operam a mesa de som e podem até fazer manutenção de equipamento, caso a emissora não tenha um técnico de manutenção.

Os técnicos devem possuir conhecimento técnico de cada aparelho, tal requisito é essencial para melhor utilização, rendimento e qualidade dos serviços de comunicação. Será ensinado aos mesmos noções básicas sobre operacionalização de microfones, mesa de som, softwares de automação, programação, aparelhos híbridos, dentre outros.