A rádio FM Assembleia conquistou, com a reportagem especial “O Direito de Ser Mulher” nesta quarta-feira (05/12), o seu quinto Prêmio Gandhi de Comunicação, que é concedido anualmente pela Agência da Boa Notícia. A solenidade foi realizada no auditório Murilo Aguiar, da Assembleia Legislativa do Ceará. A reportagem, produzida pela equipe de profissionais da emissora, foi ao ar no mês de março deste ano, marcando o Dia Internacional da Mulher.

A diretora da FM Assembleia, jornalista Fátima Abreu, avalia o prêmio como uma grande conquista, principalmente porque é concedido pela Agência da Boa Notícia. “Eu acredito na boa notícia. Sempre tive uma certa rejeição em se dar tanto espaço para notícias ruins.  Nós precisamos voltar a humanizar as nossas ações.  Para isso precisamos de estímulos. Sempre acreditei muito no potencial humano”, afirma.

Fátima Abreu salienta que nas reuniões de produção de pautas, sempre se busca privilegiar o lado positivo da sociedade. Por isso, a reportagem vitoriosa teve como tema personagem central a paulista radicada em Fortaleza e ativista social Célia Zanetti, falecida em 27 de janeiro deste ano.

Trajetórias

Para abordar os diversos aspectos que envolvem a temática da mulher, a série destaca a trajetória de personagens consagradas na história do Ceará. Entre as mulheres ícones do Estado que têm suas histórias contadas pela produção estão Bárbara de Alencar, Jovita Feitosa, Maria Tomásia e Ana Bilhar.  Também são homenageadas lideranças políticas e comunitárias que se engajaram na luta pelos direitos do segmento feminino desde o período da ditadura militar no Brasil, como a ex-prefeita de Fortaleza Maria Luíza Fontenele e Maria Amélia Leite. A reportagem especial conta com a participação das deputadas Augusta Brito (PCdoB), Fernanda Pessoa (PSDB), Mirian Sobreira (PDT) e Rachel Marques (PT).

A jornalista Tarciana Campos explica que a série surgiu não só pelo agendamento do Dia Internacional da Mulher, mas também como um meio homenagear a Célia Zanetti, então recentemente falecida. “Ela foi um ícone das lutas sociais, inclusive durante e depois da ditadura militar, por direitos humanos. Depois, a reportagem tomou caminhos mais específicos, fazendo homenagens mais amplas a tantas mulheres icônicas do Ceará. O resultado foi uma reportagem bem histórica, com a participação das mulheres em diversos campos, da política às artes”, explica.

O diretor de reportagem Ronaldo César considera que o prêmio lhe assegura o sentimento do dever cumprido. “A união dessa equipe fez com que chegássemos ao quinto prêmio, buscando sempre desenvolver e criar novos projetos para que a gente prossiga no trabalho que vai ao encontro dos anseios dos ouvintes”, frisa.

Ele assinala ainda que apesar de haver muitas boas notícias a serem divulgadas, a veiculação de reportagens voltadas para essa área do jornalismo é muito restrita. “Se aposta muito no retorno da audiência a partir de notícias com carga negativa, mas a FM Assembleia prefere ir em outra direção, levando também as boas notícias para o seu público”, destaca.

Como acessar a reportagem premiada

A Reportagem Especial O direito de ser mulher é uma produção de Fátima Abreu e Tarciana Campos, com edição de Nabucodonosor Queiroz e Ronildo Lins e direção de Ronaldo César.  A reportagem está disponível na página da FM (https://www.al.ce.gov.br/index.php/reportagem-especial), no site oficial da Assembleia Legislativa.

O Prêmio Gandhi está em sua décima primeira edição e agracia os melhores trabalhos voltados para cultura de paz. Em 2018 foram inscritos 110 trabalhos, sendo 85 inscrições para categorias profissionais e 25 para categorias estudantis.